NOM*D

Posted on 25/10/2010 por

0


Já faz algumas semanas que NOM*D está na lista das marcas que merecem um post no New! So so, mas como vocês tem percebido, tem nos restado pouco tempo para atualizar o blog. Não é correto prometer melhorias quanto a isso, porque certeza que não cumpriremos. Como compensar então? Com novos e bons posts.

NOM*D impressiona, parte quando descobri de onde vem, das longíquas terras da Nova Zelândia, país tão exótico e lindo que me encanta ao ponto de colocar na minha lista de local para se viver antes de morrer. (se a vida me oferecer ao menos uma visita, já estarei extremamente agradecido). Voltando a marca,  outro motivo que me faz escolher falar de NOM*D é a sua coleção de Inverno 2011 apresentada na NZ Fashion Week. Danse Macabre é um culto a universalidade da morte, através da personificação da morte. Ritualística, performática e teatral.

O site www.stuff.co.nz descreve muito bem o ato. Na reportagem, informações descritivas e um vídeo incrível (não consegui postar por aqui) que são imperdíveis.

“It wasn’t a catwalk at NOM*D, but a theatre performance held in an offsite warehouse for New Zealand Fashion Week.

Called Danse Macabre, it was post apocalyptic, death-fearing and showcased the wild disintegration of a bourgeois lifestyle. There were four different sets on the floor that flowed into one another, and guests crowded around the sectioned off area to watch. In an elegant dining space a gloomy woman with hair plastered across her face set the table. The dominatrix-like dinner party host waited for her guests with dangerous looking leather horse whip in hand.”

Algumas fotos:

Vamos falar um pouco mais da marca. A neozelandeza NOM*D é obscura, sombria e atemporal. Já é bem reconhecida no mercado local, sua estréia foi em 1986, e desde então vem se definindo como a mais importante marca da Nova Zelândia, responsável por redefinir a imagem da moda no país.

“Em parte, a sua estética noir deve-se a Dunedin, uma cidade situada no remoto, e rochoso da ‘New Zealand’s South Island’ onde os designers da NOM*D, Margarita e seu marido Chris Robertson vivem até hoje. A cidade universitária, com reputação internacional pelo seu cenário de música alternativa, e um ambiente gótico sobrenatural, onde a cultura da Dunedin permeia o clima de roupas Robertson.” (trecho retirado e traduzido direto do site da marca)

Tá explicado?

Conheça a coleção Verão 2010

Mais sobre a NOM*D, inclusive mais fotos dessa coleção e coleções passadas, no site.

Anúncios
Posted in: Moda Feminina